Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

05
Fev18

A minha primeira multa

Como confessei na quinta-feira, no desafio proposto pelo Triptofano, para minha infelicidade e mancha na reputação, apanhei há pouco tempo a minha primeira multa. Estavam a ser uns maravilhosos anos sem ocorrências, até que a Policia Municipal decidiu dar-me um presente.

 

No seguimento dos episódios que o Blacky e a Mia sofreram recentemente que me levou com demasiada frequência ao veterinário, no dia 19 de Janeiro passado, tínhamos marcada a consulta de reavaliação. Com dois gatos pela mão, lá fui armada em valente fazer uma caminhada que julgava serem 500 metros mas que mais pareciam 5 km. Com algumas paragens pelo meio, lá consegui chegar ao destino. O médico viu os bichanos e para minha alegria disse que tudo estava bem e que tão depressa, esperava não ser necessário voltar a visitá-lo (Já disse que o médico era jeitosinho?). Como nervoso que o meu Blacky é, pelo caminho fez o favor de se sujar, o que obrigou a tomar uma banhoca. Perguntei se era possível de caminho tomarem os dois, e como a resposta foi afirmativa, vim à minha vida. Quando chegou a hora de os ir buscar, chovia, e como tinha dois gatos para trazer, peguei no carro e fiz-me à estrada. Claro foi, que não tive lugar para estacionar, então optei por me colocar em segunda fila, afinal, era coisa rápida.

 

Quando entrei no veterinário vi que estava a haver espetáculo. Um dono extremamente descontente porque tinha uma quantia avultada para pagar e o hospital não lhe estaria a facilitar o pagamento. Esperei, até que me trouxeram os bichanos, cheirosos até mais não. Enquanto estava ao balcão para pagar, lembrei-me de olhar para o exterior e foi quando vi a Policia Municipal parada do outro lado da rua. Corri para fora e tentei apaziguar o guarda, mas não tive alternativa. O meu bolinhas, com dois meses de vida já comeu uma multa. Trinta paus. A minha ignorância é imensa e só quis saber se pagava na hora ou como era, ao que o guarda me respondeu que a receberia em casa. Nisto tudo, está o veterinário atrás de mim, com os gatos na mão para me entregar e começa a mandar vir com o polícia. Que há muitas infrações e eles nada fazem, que havia muitos mais carros mal parados (é verdade, havia!) e que eu parara ali numa emergência de ir levar o meu gato doente. O guarda não gostou e começou a discussão. E eu ali, a ouvir. 

 

Eu fiz mal e tenho a perfeita consciência disso, ainda mais sendo hora de ponta. Agora se eu levei multa, porque não levaram os outros todos também? Isto dos privilégios é mesmo tramado.

 

Conclusão: o banho dos gatos foi oferta da casa. E eu fartei-me de insistir no pagamento, acreditem! Mas o Dr. disse que a multa que tinha para pagar já era despesa suficiente. Já vos disse que o Dr. é um querido? Depois deste episódio, fiquei ainda com mais certeza disso.

 

21
Dez17

O Veterinário

Todos desse lado sabem que, cá por casa, há dois bichanos: o Blacky e a Mia.

 

O Blacky é o o amor da minha vida. Não sei se é porque eu o adoro, porque o adoro ou porque o adoro outra vez. Mas que o adoro, disso, podem ter a certeza absoluta! É relativamente amoroso e meigo, embora tudo isso desapareça quando vê a sua maior inimiga... A transportadora.

 

O Blacky tem seis anos. Em todo este tempo, só conseguimos fazer-lhe a castração. Não por falta de dinheiro ou de vontade, mas simplesmente porque ele não se deixa apanhar. Quando é apanhado e ele percebe que foi traído, fica ofegante, esperneia, magoa-nos, ataca e inclusive mija-se. Parece mentira mas não é... Sim, de tanto medo ele mija-se. Quantas não foram as vezes que tivemos de desmarcar à última porque não fomos capazes de apanhar o nosso próprio gato... Mas bem, apesar de tudo isto sempre foi um gato saudável. Brinca, corre que nem doido e come a quantidade indicada. De há uns meses para cá, não sei se é pela chegada da Mia, ele não anda o mesmo. Quando chega a hora da refeição, como a Mia quer comer ao mesmo tempo ele acaba por lhe ceder a vez. Passa a hora e ele não come e quando se lembra, enfarda como se não houvesse amanhã. E o que é que acontece depois? Vomita, pois claro. Típica atitude bulímica.

 

A preocupação começou a aumentar nos últimos dias quando, em vez de uma vez na quinzena começou a ser diário. Algo devia estar muito errado... Ainda não sei como mas a minha irmã conseguiu um milagre. Nem ela sabe como o conseguiu enfiar na caixa à falsa fé. Foi logo a correr ao veterinário, mesmo sem marcação para tentar a sorte. E felizmente, conseguiu.

 

Ficou para observação durante a noite e foram lhe feitas análises. Fui buscá-lo ontem e o médico disse que nada indica uma doença. Mandou-nos mudar de ração e recomendou uma anti-alérgica para ver a reação dele (2,50 kg - 33,50€!). Hoje, vou buscar a Mia, que foi também internada ontem para ser esterilizada. Vou marcar consulta para ambos e pensar já no terror que será engana-los novamente para a semana. A somar lhe a operação, já ascende aos 400€. Assim, de repente e quase sem se contar. Tem que ser, eu sei. Só é pena ser tudo junto e num mês em que naturalmente se gasta mais... Ao menos que fiquem bem, isso é que interessa. Nós tomámos a decisão de os adotar por isso é responsabilidade nossa cuidar e zelar por eles. Sempre!