Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

02
Jun17

Dizer ou não dizer?

Tal como a descrição aqui do sítio avisa, sou uma pessoa muito revoltada. Bem, neste caso a revolta não se aplica concretamente, mas sim o facto de raramente me calar ao que se passa à minha volta. Vejo tudo, reclamo de tudo. Há quem diga que é defeito, há quem diga que é qualidade. Eu cá não sei, não sei sequer como avaliar esta faceta.

 

Sou cliente de um salão de cabeleireiro há já alguns anos. Gosto muito da forma como tratam de mim, do meu cabelo, gosto do espaço, das pessoas, tudo mais. Os preços não são assim tão agradáveis, mas quanto a isso, sem ser deixar de lá ir, não posso fazer nada. E depois de algumas más experiências nesse campo, confiar o meu cabelo a alguém é tarefa difícil.

 

Ontem, quando fui tirar a pelagem que estava a mais na cara, aconteceu algo que eu não gostei necessariamente. Quando chegou a minha vez, fui chamada e atendida por uma cabeleireira nova no salão. Até aí estaria tudo bem, não tivesse o trabalho ficado mal feito. Verdade é, que só reparei quando cheguei a casa. O bigode, que era suposto ter desaparecido após tanta cera posta, está cá. Quase todo! E as sobrancelhas... Estão queimadas! Sim, queimadas! A cera estava tão mas tão quente que fiquei com a pálpebra marcada, pisada, e hoje é que se nota bem!

 

Eu não fui lá, mas vontade não me falta... Não propriamente para reclamar do sucedido, mas mais para informar que não queria ser atendida novamente por ela... As minhas sobrancelhas têm medo, muito medo! E vão demorar uns bons dias a recuperar! Mas sei que ela é nova, e temo que possa criar problemas à moça. Mas eu não posso nem devo ficar calada... Ou será que devo?

 

O que fariam na minha situação? Porque eu estou mesmo num dilema moral... 

 

Beijinhos e bom fim-de-semana!

 

21
Out16

Atendimento ao público - ou falta dele

Hoje presenciei uma situação que me deixou bastante desagradada. Um atendimento de uma funcionária da conhecida Bijou Brigitte, ou antes, a falta de um.

 

Entrei na loja, acompanhando a minha irmã, que tinha o intuito de adquirir um par de brincos. Ninguém na loja. Cerca de um minuto depois, ouvem-se duas pessoas a conversar. Uma funcionária espreita para a loja e cumprimenta-nos. Volta a entrar nos arrumos e continua com a conversa. Ficámos uns bons cinco minutos na loja. Mexemos, escolhemos e voltámos a remexer. Da parte da funcionária? Nada. Entretanto, sendo eu e a minha irmã como somos - tínhamos que falar. E falámos, mas pouco mudou. perguntou, a espreitar pela porta se podia ajudar ao que levou uma resposta negativa. Fiquei com vontade de abandonar a loja, por tudo o que sei e que faço diáriamente e aquilo, estava a dar me a volta ao miolo. A minha irmã escolheu uns brincos, e dirigimo-nos à caixa. Esperámos na volta dos dois minutos, que a funcionária tivesse um bocadinho para nos fazer a conta. Enquanto aguardávamos o pagamento pelo multibanco, esta volta a dirigir-se aos arrumos para continuar a maldita conversa, e nisto já estavam 6 pessoas na loja, para além de nós!

 

Se eu 'adorei' isto, os meus e quaisquer patrões iam adorar ainda mais! Será que posso chamar àquela pessoa uma funcionária sequer? Deprimente.