Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

22
Abr19

O que fica no pensamento das crianças

Espero que todos tenham tido uma boa Páscoa! Com doces q.b. e muita animação familiar.

 

Isto leva-nos ao tradicional almoço de Domingo, seguido da visita pascal. É por hábito ter para a mesma, uma mesa com uma jarra de flores, uma laranja, um folar ou são bento e um envelope com a côngrua. Quando finalmente chega a hora do "Cristo ressuscitou. Aleluia. Aleluia" entram pela casa,  normalmente 4 pessoas: o padre (ou substituto), o senhor que carrega a cruz, o que traz o sino e o que levanta a côngrua. (Todos sabem o que é a côngrua, certo?). Na aldeia dos meus avós os filhos destes respetivos senhores costumam vir a acompanhar a "procissão". Ontem, quando chegou a nossa vez, uma das meninas entra, vai direta à mesa e diz:

 

- Pai, aqui não há envelope!

 

O pai rapidamente a ajuda a "procurar" o dito cujo e lá percebem que sim, há envelope.

 

Uns riram-se pela audácia da miúda, outros, como eu, pensam no que se está a ensinar às crianças e em como a igreja católica infelizmente se tornou um negócio...

 

(Não me batam por esta última linha que escrevi. É a minha opinião)

 

16
Abr19

Aquele momento em que... #89

... constato com os meus colegas em como fomos crianças felizes!

 

Em como nos enchia o peito saltar nos sacos de batatas, arrancar cenouras e ficar com a rama na mão, andar em baloiços feitos de pneus ou partes de mangueiras pendurados em árvores. Correr descalços pelos regos da água durante as regas e ouvir a avó a ralhar. E tantas, tantas outras!

 

O que é que as crianças têm hoje? Tecnologia. Tecnologia e mais tecnologia.

 

E sabem o que dói mais? É quando estes assuntos vêm à conversa, os miúdos olharem para nós e acharem que somos extraterrestres por termos sido felizes com tais coisas...

 

website1-1024x682.jpg

(Imagem retirada da internet)

 

19
Set18

Confidencialidade hotel - hóspede

O que me traz aqui hoje, como o título indica é a questão da confidencialidade hotel - hóspede.

 

No início desta minha aventura pelo ramo do turismo, foi-me dito que nunca deveria dar informações a alguém do exterior sobre alguém que estivesse ou viesse a estar alojado na propriedade. Pareceu-me bizarro até que entendi o porquê. Veja-se que, quando um casal chega a um hotel, podem nem sempre ser um 'casal'. Pode ser uma facadinha no matrimónio. Quando uma pessoa vem sozinha, pode nem sempre vir em turismo. Pode estar a fugir de algo ou alguém. Entre tantas outras opções que não me vou dar ao trabalho de enumerar.

 

Hoje tive um senhor que me veio perguntar se fulanos X e Y estavam cá hospedados. Com um sorriso, informei que não lhe poderia confirmar nem negar essa informação. Pensei que o assunto terminasse por aqui mas não. Fui ofendida e chamada de diversos nomes impróprios. O meu profissionalismo e educação foram postos em causa. E eu já nervosa, porque sou uma criatura demasiado sensível, convidei o senhor a sair que, a praguejar, lá o fez.

 

Será que estamos assim tão mal? Será que só porque alguém não nos responde o que queríamos ouvir, temos que partir para o insulto? Será que não entendem que há informações que não podem ser facultadas pelos exemplos acima mencionados? Será que há assim tantos broncos?!

 

É tão triste ao ponto que se chega...

 

 

 

16
Ago18

Bons exemplos acima de tudo!

Tenho que expressar aqui a minha fúria. Ou espécie de.

 

Fui a uma superfície comercial, que tem uma maravilha de secção de coisas a vulso. Admito aqui que todos os super e hipermercados deviam ter - e de perferência, não só para gomas e doces.

 

E falando em gomas. Estava uma mãe, com seu filho exatamente nessa secção. Escolhiam, e escolhiam, até que consegui perceber o que estavam efetivamente a fazer. Estavam a comer, meus senhores. Sim, a comer! A mãe tirava as gomas da caixa e comia, perante o olhar atento da criança com os seus 3 anos no máximo. A mesma, incentivou a criança a comer também que sobre o olhar atento em volta, claro, lá acabou por o fazer.

 

Uau, digo-vos. Nunca pensei ver coisa assim. Bem sei que estamos a avançar em todos os campos de inovação e a retroceder nas coisas mais básicas mas caramba... Isto sim, é educação!

 

Como podem esperar algo de bom destas crianças no futuro? Como podem esperar que sejam educadas, que aguardem a sua vez nas filas, que peçam se faz favor e desculpa, que não roubem? Se é permitido comer gomas num supermercado sem pagar, que mais não poderão fazer?

 

Devíamos ter vergonha. Vergonha daquilo que andamos a ensinar.