Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

21
Dez17

O Veterinário

Todos desse lado sabem que, cá por casa, há dois bichanos: o Blacky e a Mia.

 

O Blacky é o o amor da minha vida. Não sei se é porque eu o adoro, porque o adoro ou porque o adoro outra vez. Mas que o adoro, disso, podem ter a certeza absoluta! É relativamente amoroso e meigo, embora tudo isso desapareça quando vê a sua maior inimiga... A transportadora.

 

O Blacky tem seis anos. Em todo este tempo, só conseguimos fazer-lhe a castração. Não por falta de dinheiro ou de vontade, mas simplesmente porque ele não se deixa apanhar. Quando é apanhado e ele percebe que foi traído, fica ofegante, esperneia, magoa-nos, ataca e inclusive mija-se. Parece mentira mas não é... Sim, de tanto medo ele mija-se. Quantas não foram as vezes que tivemos de desmarcar à última porque não fomos capazes de apanhar o nosso próprio gato... Mas bem, apesar de tudo isto sempre foi um gato saudável. Brinca, corre que nem doido e come a quantidade indicada. De há uns meses para cá, não sei se é pela chegada da Mia, ele não anda o mesmo. Quando chega a hora da refeição, como a Mia quer comer ao mesmo tempo ele acaba por lhe ceder a vez. Passa a hora e ele não come e quando se lembra, enfarda como se não houvesse amanhã. E o que é que acontece depois? Vomita, pois claro. Típica atitude bulímica.

 

A preocupação começou a aumentar nos últimos dias quando, em vez de uma vez na quinzena começou a ser diário. Algo devia estar muito errado... Ainda não sei como mas a minha irmã conseguiu um milagre. Nem ela sabe como o conseguiu enfiar na caixa à falsa fé. Foi logo a correr ao veterinário, mesmo sem marcação para tentar a sorte. E felizmente, conseguiu.

 

Ficou para observação durante a noite e foram lhe feitas análises. Fui buscá-lo ontem e o médico disse que nada indica uma doença. Mandou-nos mudar de ração e recomendou uma anti-alérgica para ver a reação dele (2,50 kg - 33,50€!). Hoje, vou buscar a Mia, que foi também internada ontem para ser esterilizada. Vou marcar consulta para ambos e pensar já no terror que será engana-los novamente para a semana. A somar lhe a operação, já ascende aos 400€. Assim, de repente e quase sem se contar. Tem que ser, eu sei. Só é pena ser tudo junto e num mês em que naturalmente se gasta mais... Ao menos que fiquem bem, isso é que interessa. Nós tomámos a decisão de os adotar por isso é responsabilidade nossa cuidar e zelar por eles. Sempre! 

 

21
Fev17

Viver na Alemanha - o ordenado

Aqui os ordenados são pagos entre 13-15 de cada mês. Assim, coincidiu com o intervalo em que estive em Portugal. Como organizada que sou, fui fazendo as contas ao meio mês de Janeiro que trabalhei, e sabia portanto mais ou menos quanto ia auferir.

 

Vi o valor no dia em que fui embora mas como não me pareceu de longe o correto, decidi esperar até voltar para entretanto confrontar com o recibo das horas que havia de receber. Sabia que era paga a 10€ à hora (brutos). Pareceu-me mais que bom! No entanto, neste valor está incluído tudo o que podem imaginar: subsídio de alimentação é uma delas. O chamado 13º mês, aqui não existe! Achei estranho mas se o valor é tão alto, para quê reclamar. O meu pai já me tinha avisado que por não ter filhos e não pagar renda, ia descontar bastante.

 

Tal como já acontecia em Portugal, pensei. Pois bem, não. É muito mais!

 

Sabem quanto é que uma pessoa solteira e sem despesas aparentes desconta aqui?

Uns maravilhosos 16% minha gente, 16! Estou incrédula, verdadeiramente.

Ah, e fora mais umas taxaszinhas que vêm sempre por acrescento!

 

Conclusão: se vos oferecerem 2000€ no estrangeiro não se iludam nem achem que o valor é muito alto, porque destes, só vão receber perto de 1500€. Têm uma renda de 700€ para pagar, 50-100€ pela recolha de lixo (valores variam de zona para zona e pelo numero de pessoas), 200€ para contas (não inclui televisão, que é obrigatório pagar nem Internet, que é opcional. Só e apenas água, luz e gás), perto de 100€ pelos transportes, fora tudo o que seja de alimentação.

 

Compensa? Eu, na minha modesta opinião, acho que não.

 

11
Fev17

Só passou um mês...?

Um mês além fronteiras. Longe dos meus amores, da minha família, da minha casa, da minha cama, das minhas ruas, dos meus lugares... De todas as coisas que me faziam tão feliz e agora fazem tanta mas tanta falta... A curiosidade de tentar, de experimentar coisas novas, o facto de estar desempregada, ter aqui quem me desse a mão, tudo isso foram fatores que me fizeram vir. O plano era ver o que achava e caso me agradasse, trazer o Doce começar a nossa vida aqui.

 

Vendo bem as coisas, as conclusões a que cheguei são:

 

1. As casas têm imensas condições de aquecimento. Mas custam um balúrdio.

2. As pessoas vivem as suas próprias vidas. Mas há sempre um português a meter o nariz. 

3. A rede de transportes é o que mais me fascina. Mas a condução para mim, tem outro encanto!

4. Os ordenados parecem excelentes, mas avaliando todas as despesas vai dar ela por ela.

E como disse anteriormente, se não for para se poupar, porquê sair de ao pé dos nossos...?

5. De que me serve ter o fim-de-semana livre, se não tenho com quem o passar?

Mesmo futuramente com o Doce, mãe é mãe, e todos sabem o que ela significa na minha vida.

6. Há coisas que nunca vão mudar, e eu tenho teimado em não aceitar isso, e tentado mudar as coisas mas já me cansei de o fazer e por isso, está na altura de um ponto final.

 

Mesmo assim, vou fazer um esforço e cumprir o contrato que assinei.

São seis meses, e um já lá vai. Só faltam cinco. Já só faltam cinco...