Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

06
Nov19

Novamente o estágio

Bom, como disse aqui o estágio está a correr bem. A questão é que... Não é nada do que estava à espera - de longe! Não estou a fazer nada propriamente na área ou 'útil'.

 

Sou mais uma assistente pessoal do meu tutor que outra coisa. Ele pede-me para ir levantar roupa à lavandaria, para lhe realizar/terminar os cursos do Google (Sim, eu é que os estou a fazer...) e inclusive, já me disse que a minha função na agência é ele conseguir manter a porta aberta, uma vez que passa a vida na rua a angariar e ter reuniões com os clientes. Perspetivas de emprego não há, porque não estou disponível a trabalhar à comissão SEM um ordenado base.

 

Sei por colegas mais próximos, que também não estão assim tão bem servidos. Quase nenhum está a fazer o que seria suposto, aplicar os conhecimentos adquiridos. O que foi meu colega de mesa está no céu, a desenvolver aplicações e a fazer o que sabe de melhor. Já foi elogiado e estou tão feliz por ele. Há um potencial em bruto ali, acreditem. Outros, tornaram-se meio que bloggers, outros dividem-se entre o suposto e a organização/limpeza do espaço. Há quem como eu, esteja nos seguros mas está a resolver e tratar de sinistros. É uma festa. Parece-me que todos nós só queremos acabar os estágios para ter a certificação e procurar novas oportunidades.

 

Esta semana já fico com 25% do estágio feito. Já não falta tudo! E se não fizer nada de mais útil, venho trocar dois dedos de conversa convosco mais frequentemente! Boa semana! 

 

12
Fev19

Preciso de perceber

Quero dizer, eu já percebi mas há quem ainda não então preciso das opiniões dos meus queridos leitores. 

 

Existem amigos, colegas e conhecidos. Existem conhecidos que são uns porreiros e amigos que nos enganam bem. Existem também aqueles que nos tratam como Deus: só se lembram de lhe rezar quando precisam. Eu conheço uma pessoa assim. Para mim, é só uma conhecida mas há pessoas próximas que a consideram amiga. 

 

Como fazer entender que a pessoa próxima, quem quer sair contigo não quer sair contigo propriamente só quer a tua boleia? Quando mesmo sem carro, insiste e pergunta pelos restantes carros da família ou conhecidos? Que no próprio dia de anos, o amigo ainda não lhe tinha ligado e ela liga "Então, são os meus anos, não me ias ligar?!". Sabendo que o amigo tem namorada, lhe propõe irem morar para o estrangeiro e fazer viagens a Paris?

 

Sou eu que sou piquinhas ou há mesmo alguma coisa aqui a não bater certo?

17
Jul18

Mentalidades

Há coisas que me moem o juízo. Assim para o muito, que me fazem querer explodir de raiva pela ignorância e estupidez alheia. Pela racismo, as opiniões aparvalhadas. Por tudo.

 

Somos apenas quatro funcionárias aqui no hotel. Três rececionistas e uma empregada de limpeza. Sou a mais nova, sendo que todas elas têm idade para ser minhas mães. Há situações em que se torna-se estranho esta diferença abismal, confesso, mas damos-nos todas bem.

 

O que não funciona bem para mim é a mentalidade delas. Delas e de tanta gente nesta sociedade mas foco-me nelas porque existe uma convivência diária. Uma mais que outra, mas acho que nunca tinha visto uma mentalidade tão retrograda. Pelo menos, não numa pessoa na casa dos 40.

 

A partir do momento em que trabalhas na hotelaria, ou no atendimento ao público em si, sabes que vais encontrar bastante diversidade. Diversidade essa que, talvez pela minha idade, seja fácil de aceitar. Ou porque tento ser mente aberta. Ou porque a delas é fechada demais.

 

A grande maioria das reservas chega pela Booking. As pessoas colocam o nome, a data da estadia, o contacto e o número de pessoas que vêm. A grande surpresa é quando.... Chanã: chegam duas pessoas do mesmo sexo. Começa a discriminação. Não chega a ser aquela discriminação odiosa, porque em frente aos hóspedes o teatro é perfeito. Mas mal viram costas...

 

- "Qua sorte a minha, aturar panascas!"

- "Já viste isto? Até parece que não tinham mais para onde ir!"

- "Olha, o quarto que veio são dois fofinhos!"

 

Entre tantas outras.

 

Sou heterossexual e por isso, tive a minha vida facilitada. Nunca soube o que era ter que mentir sobre os meus sentimentos, ser ofendida na rua ou gozada pela minha orientação sexual. Mas não suporto ver alguém passar por isso. Fico fula e sinto que até perco o discernimento. Só me apetece dar um abanão na pessoa e desejar secretamente que o cuspo lhe caia em cima.

 

Sei que é muito feio o que acabei de escrever mas é só no que penso. Nestas mães que, em vez de ensinarem a diversidade do amor aos filhos, educam-nos com este preconceito. Estas crianças tornam-se adultos, e vão ensinar tal como foram ensinados. E o ciclo, nunca se quebra...

 

Sinto-me ofendida sem ser diretamente comigo. Ofendida com tanta ignorância. 

 

27
Fev17

Viver na Alemanha - colegas de trabalho

Há um mês, falei sobre o trabalho. Hoje, falo sobre os colegas.

 

Nesta semana que passou, o patrão ligou-me e pediu-me se podia ir fazer as horas de um casal que ia de férias. Não vi problema aparente tendo em conta o gesto que ele teve ao deixar-me ir a Portugal quando ainda nem direito a férias tenho. Só cinco dias, desde ontem até quinta-feira. É ainda mais longe que a escola que faço, tendo que apanhar mais autocarros para chegar ao novo destino. O trabalho baseia-se a escritórios - é um stand automóvel. Foi-me dito que seriam três horas e meia (porque era 1h45m a cada elemento do casal), e logo quando fui ver o local, achei 'demasiado' tempo e que certamente o faria em menos. Então em comparação, a escola que faço precisaria de cinco a seis horas para fazer tudo em condições!

 

O stand é limpo de segunda a quinta, e o dia de sexta pode ser feito ao Sábado ou Domingo. Optei por ir ontem pela manhã e fiz tudo como me fora indicado quando fui ver o trabalho. Dirigi-me então aos arrumos e preparei-me para começar a limpeza pelo mais leve: os escritórios. Houve salas que me assustaram pelo nível de pó encontrado. Posso dizer com certeza que aquilo não tinha sido limpo nem na sexta-feira passada, nem na da semana anterior. Uma coisa que me foi dita pela minha madrasta (que também trabalha na empresa), foi que quem faz estes trabalhos temporários por faltas, doença ou férias dos empregados destacados ao lugar, não tem que limpar o que os mesmos deixam mal limpo. Ou seja: eu não devia ter limpo o pó a fundo como limpei. Porquê? Porque ninguém me vai agradecer, estou a fazer-lhes um favor e estou também, apenas a evitar que eles ouçam reclamações. Mesmo assim. não me arrependo. Não era capaz de ver aquilo e não limpar. Tal como não fui com a máquina de limpar o chão. Essa foi a melhor!

 

Aprendi a usar uma máquina destas na escola onde trabalho. Tenho que a encher, limpar filtros, borrachas, depósito de água suja e todas as coisas normais a respeito de manutenção. Apesar da máquina encontrada no stand ser diferente, achei estranho os sítios por onde passava estarem a ficar mais sujos do que aquilo que estavam. Decidi investigar. Ao abrir o depósito da água, ia morrendo... Estão a ver uma máquina de lavar o chão, certo? Ora, o depósito da água suja, não era água suja. Era água preta, e não estou a exagerar, preta mesmo. Até já tinha cheiro, por isso, imaginem há quanto tempo aquela água não estaria ali estagnada! Como já tinha perdido imenso tempo com estas manobras, deixei ficar tudo praticamente igual e lavei o chão à mopa sendo que amanhã, vou ver se trato do assunto como deve ser, mesmo não sendo minha obrigação.

 

Estou chocada e indignada. Como podem estas pessoas considerar-se empregadas(os) de limpeza? Eu, tenho a mania que sou uma princesa, e por isso, nunca, por sombra alguma me imaginei neste ramo. É um trabalho digno, é sim, mas custa-me de certa forma fazê-lo. Agora, apesar de não gostar, não significa que não o saiba fazer ou que não o faça em condições! E a prova é que tenho sido elogiada vezes sem conta em nem dois meses de trabalho!

 

Em desabafo, perguntei se devia contar ao patrão o que tinha visto e o meu pai sugeriu que não o fizesse. Aparentemente criaria atritos e a minha palavra não seria tida em conta. Ok, ótimo, eu fico calada. Mas caso mais alguma vez tenha que ir fazer o trabalho dos outros, seja por que motivo for, juro que não vou limpar melhor do que aquilo que eles fazem diariamente! Se limpam mal, problema deles. Eu assumo as culpas na minha escola, e nada mais!