Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

26
Jun17

A Sweetener fica!

Foram praticamente duas semanas, é verdade e peço desculpa por isso. Não planeava que fosse tanto tempo mas não consegui domar a coisa de modo a ser diferente. Tive umas contrariedades de maior e não foi mesmo possível vir até aqui nem até aos vossos cantos individuais.

 

Agora voltei e por isso, vou pegar no tema que deixei em mãos antes destas férias: o anonimato. Infelizmente, e como já terá acontecido a muito boa gente por aí, o meu blog deixou de ser anónimo. Não deixou propriamente, simplesmente há pessoas que não deviam saber da existência dele e sabem. Fiquei verdadeiramente aflita e preocupada com o assunto mas depois de muito ponderar, decidi ficar. Manter tudo conforme está: o blog, o nome e minha maneira de ser, TUDO! Porque um blog é isso mesmo, um reflexo. E se nem aqui sou livre de dizer aquilo que penso, estou muito mal então... Lamento que alguém que saiba quem a Nadine é venha a ler algo que não gosta, lamento que alguém que conhece a Nadine fique a saber de algumas coisas que ela pensa mas que não diz sem ser por escrito, lamento que alguém de quem a Nadine não gosta fique a sabê-lo por aqui... Mas olhem... Temos pena! A Nadine e a Sweetener são a mesma pessoa, uma não existe sem a outra e portanto, este blog vai continuar. Tal e qual como é!

 

Não prometo, no entanto, continuar com assiduidade diária. O que me levou ao afastamento estes dias ainda não está totalmente resolvido, daí este aviso que vos faço. Mas vou fazer um esforço e espero conseguir vir cá pelo menos duas a três vezes por semana contar coisas!

 

Boa semana para todos vós! Vemos-nos por aqui! 

 

12
Jun17

O anonimato do blog

Muitas eram as expetativas criadas e planeadas, rabiscos feitos em possíveis layouts, eventuais textos já redigidos de ante-mão... Tanta, mas tanta dor de cabeça até ter o nome perfeito! Toda a envolvência pré-criação do blog foi ponderada. Muito ponderada. Apesar de não escrever nada de jeito e não querer enveredar pela área da escrita, sempre gostei de escrever. Tive um diário a maior parte da minha vida, mesmo quando me diziam que era do mais infantil que havia. Não precisava de ser um com cadeado. Um caderno com linhas era o suficiente para eu despejar tudo o que sentira ao longo do dia e todas as coisas estúpidas ou maravilhosas que fizera no mesmo.

 

Criar a Sweetener, foi como que a concretização de um sonho maior. Como tornar o meu diário público, com um infinito leque de desconhecidos. Pessoas que com a sua imparcialidade me ajudariam a resolver algumas questões pessoais e sociais, discutir temáticas nunca antes no mundo real por mim faladas. Pessoas que pelo menos me fariam ver a coisa de outra forma.

 

Daí, ter tomado a decisão de criar um blog anónimo.

 

Ter um blog anónimo, ainda que falando de nós, é uma lufada de ar fresco. Como disse em cima, é ter a possibilidade de partilhar aquilo que mais nos alegra ou apoquenta com pessoas que não nos conhecem, que não nos vão julgar. E mesmo que o façam, não interessa. Não será na nossa cara. Nem por pessoas que conhecemos diretamente e com quem lidamos todos os dias...

 

Este blog nunca foi 100% anónimo. Apesar de escondida tenho cara. Apesar de não enunciado sabem o meu nome. Sabem a minha idade, onde eu moro. Sabem aquilo que mais gosto de fazer e aquilo que não suporto. Sabem que sou uma moralista do pior. Sabem dos amores da minha vida, dos poucos amigos que tenho. Sabem que tenho baixa auto-estima e a mania de querer ser perfeita. Sabem que me desvalorizo constantemente. Sabem aquilo que é visível a todos e também aquilo que não é. E para pessoas conhecidas, soma-se um mais um e temos dois.

 

É então que esse anonimato acaba... O que se faz? Acaba-se com o blog? Desiste-se de falar sobre o melhor e o pior que enche a nossa vida? Deixam-se pessoas que nos lêem penduradas só porque temos medo que X ou Y saibam mais da nossa vida do que aquilo que é público?

 

Descobri que pessoas que fazem parte da minha realidade também fazem parte da minha virtualidade. Porque cometi um deslize meses atrás... Um print, onde me esqueci de desfocar a zona do link que vos traz aqui. De uma forma tão simples, tão básica. Achava eu que ninguém queria saber das minhas publicações... Percebi que sou afinal mais cobiçada que o esperado.

 

Que opção tenho agora? Desistir não será uma delas e torna-lo privado também não me parece assim tão bem. Mas... Não me sinto minimamente confortável com a situação. Se antes escrevia de livre espírito, tudo, exatamente como vinha à cabeça agora vou ter que pensar duas vezes. Vou ter que ponderar bem o que dizer e o que não. Vou perder a essência, porque a essência era ser livre. Ser livre com o adoçante que a vida me deu, já que não tenho hipótese de ser o açúcar na maior parte dos aspetos . Era a minha alternativa, o meu substituto e até isso me estão a tirar...