Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

08
Nov18

Ser saudável, de corpo e mente #7

Desde que comecei a investir em mim, tenho notado aspetos muito positivos. A auto-estima subiu lá para cima, o queixume de não ter o corpo desejado diminuiu - passei a trabalhar para isso. Os resultados têm sido bons. Uma das coisas mais importantes, foi mudar na alimentação.

 

Comecei aos poucos, não fosse assustar-me, a abster-me de McDonald's. Hoje, não me diz rigorosamente nada. Nem sinto aquela vontade e/ou fome desenfreada para comer uns nuggets ou um CBO. Deixei os sumos a 100%, nunca mais bebi nenhum. Da última vez que tentei, cuspi o ice tea fora por me parecer estar a comer açúcar às colheres. Reduziu-se o chá no açúcar (se é que me entendem) e já quase consigo bebê-lo ao natural. Aumentei o consumo de água, que era uma verdadeira vergonha. Não há bolos de pastelaria, chocolates há muito que deixei de comer. E posto isto, veio o sal. Têm noção que comemos sal às colheres?

 

Sim, é verdade e quem está a passar ou passou por uma fase de reeducação alimentar como eu, sabe do que falo. As salsichas da marca que consumia são intragáveis de sal. As azeitonas da mesma, igual. Não vou nomear a marca porque devem ser todas iguais, eu só me apercebo nessa porque é só essa que consumo. É assustadora a quantidade de sal que ingerimos diariamente. E não nos apercebemos, acreditem. Eu só dou conta agora e fico doente de imaginar o que andei a fazer ao meu corpo durante todos estes anos. Eu não sabia cozinhar sem os caldos mágicos, porque dizia que ficava insonso. Desde que fui morar com o Doce que aprendi alternativas. Não fazem ideia do orgulho que sinto de já não ir ao corredor pegar numa caixa-bomba-de-sal.

 

Em Portugal são consumidas diariamente o dobro da dose recomendada de sal. Como diz o serviço nacional de saúde, devemos ir substituindo o sal por ervas aromáticas e similares. Devemos fazer um esforço pela reeducação alimentar. Aos poucos e poucos, aprenderemos a comer melhor. A nossa saúde e o nosso corpo agradecem profundamente. É preciso pensar nisto! 

 

8 comentários

Comentar post