Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

11
Abr18

Ser saudável, de corpo e mente #3

Hoje vem a terceira partilha desta minha aventura na procura de uma vida mais saudável.

 

Na segunda-feira que passou, tive a minha primeira consulta de nutrição, incluída na mensalidade que pago do ginásio. Marcada para as 10h, fui chamada num ápice. (Como é bom ser consulado a horas!) Foram 45 minutos, onde ouvi mais coisas boas do que más para minha alegria.

 

Sabem que sou uma perdida por leite. Bebo numa quantidade elevada, ainda mais no verão e sinto sempre vontade de mais. Já mais que uma pessoa me chamara à atenção quanto a este gosto e que o facto de não conseguir perder barriga, poderia estar associado. Deixar de beber leite, eu? É das coisas que eu não estou mesmo disposta a fazer com que aconteça. E felizmente, não vai ser preciso, pelo menos para já, porque a nutricionista nem se focou no assunto.

 

Basicamente, a senhora colocou-me um 'limite' de consumo de hidratos. Estivemos a fazer contas e contas e realmente, eu comia demasiados. Acreditam que bolachas de água e sal ou digestivas são das maiores bombas calóricas que pode existir? Esse é um dos meus maiores pecados, porque passo a vida a petiscar enquanto estou sentada na receção sem fazer nenhum. O poder petiscar posso, desde que sejam as coisas certas. Vou sem dúvida ter que introduzir a sopa nas refeições, coisa que acontecia uma vez por mês até aqui. Não que não goste, simplesmente não é habito fazer-se lá em casa. Em vez de colocar massa até aos olhos e um pequeno pedaço de carne, tenho que tentar chegar a metade-metade e posteriormente três partes para uma.

 

Fiquei contente porque não tenho que cortar nada, apenas adaptar e reajustar a dose. A luta conta os sumos continua e já não sinto a mínima vontade de beber. O consumo de água, não está onde deve mas já bebo cerca de 1 litro por dia! (É pouco,mas acreditem que eu nem meio bebia...)

 

Vai ser uma luta, mas eu vou atingir esta meta! 

 

14
Mar18

Ser saudável de corpo e mente #2

E cá estou, para vos contar mais uma mudança nesta minha descoberta pelo amor próprio.

 

Há anos que queria tomar esta decisão na minha vida mas sempre fui demasiado 'fraca' para a fazer. Porque achava dinheiro desnecessário, porque ninguém apoiava ou ia comigo ou mesmo por preguiça. Mas desta, foi de vez e assim, chegamos ao ponto:

 

2 - Inscrever-me no ginásio

 

Comecei por correr os ginásios da cidade para ajudar à minha escolha. Tentei ver aquilo que era ou não fundamental para mim, e claro, as mensalidades. Fã de aulas de grupo, esse era um ponto obrigatório - o que excluiu logo metade deles. Depois, e não menos importante eram as instalações. Fui a lugares onde os balneários pareciam saídos de um filme de terror e onde há apenas uma máquina de cada - o que dificulta muito a prática porque têm que esperar uns pelos outros pela utilização. Mais! Um deles, tem que se pagar para tomar banho! Ridículo, não?

 

Sei que indo três vezes por semana (modalidade escolhida), podia pagar 25€ pelo ginásio em vez dos 40€ que vou pagar. Mas ter que esperar para fazer o meu treino, ter que pagar para tomar banho, não ter aulas de grupo, piscina, banho turco, jacuzzi - tudo isso acaba por ser pago. Tenho acompanhamento nutricional, consultas mensais. Tenho PT, treinos personalizados. Tenho tudo. E apesar de ter quem ache ridículo, eu acho que este ginásio vale cada cêntimo.

 

Fui ao primeiro treino na segunda-feira. E estou um farrapo. Doem-me partes do corpo que nem sabia existir. E foi um treino super soft, acreditem! Dizem que se deve à falta de treino e que quando der por ela, o corpo já vai estar a pedir-me mais. Que assim seja, porque motivação, não me falta! E estou convicta que desta vez, vou alcançar os meus objetivos. 

 

07
Mar18

Ser saudável, de corpo e mente #1

As recentes turbulências na minha vida pessoal implicaram mais mudanças do que aquelas que podia ter imaginado. Agora, que consigo olhar para tudo com mais calma (e sobretudo racionalidade), percebo que aconteceram para me dar um valente abanão e me fazer acordar.

 

Ao longo dos anos, fui perdendo algo que nunca tive em excesso, mas indispensável à vida: o amor próprio. Achava que nunca me tinha feito falta, até que o barco embateu num iceberg e fui sacudida à força para o mar. Andei algum tempo à deriva e quase que me afoguei. Mas felizmente encontrei uns destroços e agarrei-me a eles. E a mudança, começou.

 

O que muita gente não sabe, e eu, sem dúvida que fazia parte dessa grupo, é que só há um amor incondicional: o que temos por nós próprios. Demorei 22 anos a descobrir isto, acreditam? E digo-vos, do fundo do coração que está a ser uma viagem completamente alucinante.

 

Como um blog é feito de partilha, não vou contar tudo nesta publicação. Vou começar esta espécie de rubrica "Ser saudável, de corpo e mente", onde vou partilhar por tópicos as mudanças por que estou a passar e que me estão a dar sem dúvida, uma melhor qualidade de vida.

 

O primeiro objetivo desta mudança, no que toca a alimentação foi:

 

1 - Cortar nos sumos

 

Fã assumida de chá frio, era aquele tipo de pessoa que bebia como quem não via líquidos há meses. Bebia meio litro à refeição - sem qualquer problema. Sempre achei que por não cometer erros noutras bebidas - álcool, sumos com gás e por aí diante, podia abusar numa bebida tão açucarada como esta. Assumi um compromisso e retirei o Ice Tea da minha vida. Decidi permitir-me bebê-lo apenas numa saída com amigos, por exemplo, onde as alternativas para além dele, para mim, são poucas. Tirando isso, no dia-a-dia, foi um corte total. E digo-vos que não foi uma decisão nada fácil. Mas hoje, a celebrar o primeiro mês sem ele, sinto-me vitoriosa. Não só não bebo como não sinto vontade de beber. E esse, esse é sem dúvida o maior feito!