Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

23
Jul19

Mau comportamento

É o que eu ando a ter convosco, eu sei... Disse há umas semanas que andava meio de férias no que toca aos blogs e tem sido mesmo. Não tenho escrito, nem visto/respondido aos vossos comentários, e muito menos lido os vossos cantinhos. Shame on me!

 

Isto do estudar tem que se lhe diga. É muito bom ter um horário fixo, de segunda a sexta, tenho que admitir. Fins-de-semana em casa e tal. Mas acreditam que me custa mais organizar assim? É uma correria sempre que preciso de tratar de um assunto nos serviços (banco, segurança social, médico) porque fecham sempre antes de eu estar livre. As idas ao ginásio foram reajustadas, e tudo junto tem me dado tanto trabalho e tão pouco tempo livre. 

 

No entanto, posso confessar uma coisa. Depois da espera finalmente: já tenho computador!  Não era exatamente aquilo que queria, tenho de admitir mas vai servir nos próximos tempos. 

 

O curso vai ter pausa na 1ª semana de Agosto. Finalmente vou puder descansar um pouquinho. Espero aí conseguir organizar-me de vez de modo a vir aqui com mais regularidade e escrever coisas com mais conteúdo. Vou tentar pôr tudo em dia brevemente! Esperem por mim! 

 

07
Jun19

Os cursos do IEFP

Inscrevi-me neste curso com toda a vontade. Com receio, claro está que o que chega ao fim do mês não fosse suficiente mas lá se aperta o cinto noutro buraco e a coisa vai indo. Tenho tido opiniões, das pessoas que vão sabendo, que estou a desperdiçar tempo e recursos do estado. Porque sejamos sinceros, toda a gente pensa assim. Eu também.

 

Já lá vão três meses de formação e eu estou como peixe na água. Estou a gostar sinceramente daquilo. Então agora, que entrou em cena a gestão de recursos humanos e contabilística, estou nas nuvens! Sinto-me com 15 anos, com aquela sede de conhecimento e aprendizagem (a maioria não sentiu isto, eu sei. Sou um caso especial). Mas depois olho em volta...

 

Os meus colegas chegam a tarde e más horas, sem justificações (é sempre culpa do autocarro). Quando em aula, é telemóvel ou pc a toda a hora (curso de informática, recursos constantes). Há quem passe as aulas a ver filmes. Há quem passe as aulas na conversa. Há quem venha só quando lhe apetece. Comecei a perceber que, em 16 pessoas, três ou quatro estão verdadeiramente interessadas em aprender. Só três ou quatro é que estão ali de vontade e não a viver à custa do desemprego (dessas quatro, somos só dois a usufruir dele. Os outros dois não têm descontos suficientes). Todos os outros estão ali só porque sim. Porque é mais fácil pegar num caderno e caneta (e quando a levam!) e ficar sentado das 9h às 17h a ouvir alguém falar. E quando o formador/professor pergunta algo, vêm as respostas das chacha dos distraídos, que conseguem sempre os risos porque são uns engraçados. 

 

A mais nova tem 20 anos e o mais velho 45. Cinco que estão na casa dos 30, nunca trabalharam na vida. Andam de formação em formação, a receber os apoios do estado sem lhe darem nada em troca. E eu, que tenho 23 e 3 anos de descontos ando aflita, por achar que já devia ter 5!

 

Fico triste por estar incluída neste leque. Porque cá fora, somos todos iguais. Somos todos "sugadores do estado e das minhas contribuições". Ninguém sabe quem tem vontade ou não, quem recebe ou não. Fico triste porque estou ali mesmo para aprender e só eu sei quanto me está a custar a diferença de rendimentos ao fim do mês. E anda ali tanta gente a brincar...

 

Confesso que tenho dias, quando vejo as contas a pagar, que me apetece desistir e ir trabalhar. Já estive na corda bamba duas vezes. Mas mesmo com dificuldade, vou até ao fim. Posso acabar numa loja de roupa na mesma mas já não tenho SÓ o 12ºano. Pode não me levar a lado nenhum a nível público mas a nível pessoal, é uma realização tão mas tão grande... Estou feliz! E não interessa o que os outros pensam! Eu é que sei da minha vida! 

 

Bom fim-de-semana! 

 

08
Abr19

Voltar aos estudos

Está a ser melhor do que alguma vez esperei! Sinto-me peixe na água, verdadeiramente feliz.

 

Estou a aprender imensas coisas novas, para já, na área das tecnologias. Já sei nomes e componentes,de modo a que já não serei enganada tão facilmente! Também já tive inglês, componente básica do curso. Lá para a frente virá a matemática e toda a parte de gestão.

 

Todos os formadores são espetaculares. Os colegas não são nada maus. A escola é perto de casa da minha mãe, tenho ido almoçar à pato, como se costuma dizer! 

 

Espero que, quando chegar a altura, encontre uma boa empresa para estágio. Quem sabe, com sorte, o futuro trabalho. Estou confiante e acho que isso por si só, é o mais importante! 

 

08
Out15

Primeiras impressões

Cá vamos andando... Já passaram quase três semanas. A de apresentação, de introdução ao curso e praticamente a primeira semana de aulas. Aparentemente, porque o meu horário ainda está em mudanças, vou ter aulas às segundas, quartas e sextas. Não é mau, mas preferia não ter dois dias livres a meio da semana e sim, os quatro dias seguidos, tanto para questões de trabalho como para uma escapadinha a Portugal.

 

Morar nas residenciais acaba por ser bom, eu pelo menos, estou a gostar. Tenho o meu canto, onde posso estar sossegada, só moram raparigas no meu andar e, apesar de sermos todas de cursos e nacionalidades diferente, dos escassos encontros, até são simpáticas.

 

Em relação ao curso, ainda estou muito à deriva. Talvez pelo facto de não ter qualquer base em fotografia ou mesmo por não ser na minha língua materna, o que, parecendo que não, também complica as coisas. E então, porque é que escolhi fotografia? E porquê no estrangeiro? Porque não tinha média para entrar na minha primeira opção (arquitectura), porque fotografia sempre foi um hobbie, um gosto pessoal, uma actividade de tempos livres. Porque sempre gostei do inglês e sonhei com Londres. Decidi tentar.

 

Mas toda eu continuo um misto de emoções. Já não tenho aquela vontade irracional de apanhar o primeiro avião de volta a casa mas também ainda não estou como queria. Esta anormal, que está a ter a melhor oportunidade da vida dela, passa os dias a lamentar-se e a ter pena dela própria. Incrível! Mas a velha Nadine vai voltar, eu sei que sim. Só está, digamos que, ligeiramente atrasada...

 

01
Out15

Processo de adaptação

Os dias têm passado, devagar e, aos poucos, sinto-me a melhorar. Hoje foi o último dia da semana de introdução ao curso, e por isso, fomos convidados a fazer um passeio 'fotográfico' por Londres. Para além de todas as vantagens já conhecidas, Londres presenteia-nos com museus que na sua grande maioria, são gratuitos. Com várias exposições fotográficas a decorrer, podemos dizer que fomos a todos! Corremos a cidade de uma ponta à outra. 

 

Os professores, fizeram questão de nos acompanhar em sensivelmente metade do percurso, visto que aos poucos, também temos que nos ir ambientando. Depois de tudo, fiquei bastante mais confortável quanto a viajar de metro. Apesar de achar os preços elevados, é bastante fácil orientar-mo-nos pelos mapas que temos à disposição. Se mesmo assim, tivermos dúvidas, numa grande parte das estações existem funcionários super atenciosos que nos ajudam a encontrar o melhor caminho para o nosso destino.

 

O meu único problema foi, ter deixado o cartão de memória em casa. Expliquem-me como é que é possível alguém fazer isto?! Tenho tanta vontade de bater na minha pessoa! Acabei por capturar apenas dois ou três cenários com o meu modesto LG L4 II.

 

Conforme a confiança for regressando, o dinheiro for dando e os pés aguentando, vamos explorar, um pouco a cada dia. Não me posso esquecer que, no final de contas, Londres, vai ser a minha cidade nos próximos três anos.