Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

27
Fev17

Viver na Alemanha - colegas de trabalho

Há um mês, falei sobre o trabalho. Hoje, falo sobre os colegas.

 

Nesta semana que passou, o patrão ligou-me e pediu-me se podia ir fazer as horas de um casal que ia de férias. Não vi problema aparente tendo em conta o gesto que ele teve ao deixar-me ir a Portugal quando ainda nem direito a férias tenho. Só cinco dias, desde ontem até quinta-feira. É ainda mais longe que a escola que faço, tendo que apanhar mais autocarros para chegar ao novo destino. O trabalho baseia-se a escritórios - é um stand automóvel. Foi-me dito que seriam três horas e meia (porque era 1h45m a cada elemento do casal), e logo quando fui ver o local, achei 'demasiado' tempo e que certamente o faria em menos. Então em comparação, a escola que faço precisaria de cinco a seis horas para fazer tudo em condições!

 

O stand é limpo de segunda a quinta, e o dia de sexta pode ser feito ao Sábado ou Domingo. Optei por ir ontem pela manhã e fiz tudo como me fora indicado quando fui ver o trabalho. Dirigi-me então aos arrumos e preparei-me para começar a limpeza pelo mais leve: os escritórios. Houve salas que me assustaram pelo nível de pó encontrado. Posso dizer com certeza que aquilo não tinha sido limpo nem na sexta-feira passada, nem na da semana anterior. Uma coisa que me foi dita pela minha madrasta (que também trabalha na empresa), foi que quem faz estes trabalhos temporários por faltas, doença ou férias dos empregados destacados ao lugar, não tem que limpar o que os mesmos deixam mal limpo. Ou seja: eu não devia ter limpo o pó a fundo como limpei. Porquê? Porque ninguém me vai agradecer, estou a fazer-lhes um favor e estou também, apenas a evitar que eles ouçam reclamações. Mesmo assim. não me arrependo. Não era capaz de ver aquilo e não limpar. Tal como não fui com a máquina de limpar o chão. Essa foi a melhor!

 

Aprendi a usar uma máquina destas na escola onde trabalho. Tenho que a encher, limpar filtros, borrachas, depósito de água suja e todas as coisas normais a respeito de manutenção. Apesar da máquina encontrada no stand ser diferente, achei estranho os sítios por onde passava estarem a ficar mais sujos do que aquilo que estavam. Decidi investigar. Ao abrir o depósito da água, ia morrendo... Estão a ver uma máquina de lavar o chão, certo? Ora, o depósito da água suja, não era água suja. Era água preta, e não estou a exagerar, preta mesmo. Até já tinha cheiro, por isso, imaginem há quanto tempo aquela água não estaria ali estagnada! Como já tinha perdido imenso tempo com estas manobras, deixei ficar tudo praticamente igual e lavei o chão à mopa sendo que amanhã, vou ver se trato do assunto como deve ser, mesmo não sendo minha obrigação.

 

Estou chocada e indignada. Como podem estas pessoas considerar-se empregadas(os) de limpeza? Eu, tenho a mania que sou uma princesa, e por isso, nunca, por sombra alguma me imaginei neste ramo. É um trabalho digno, é sim, mas custa-me de certa forma fazê-lo. Agora, apesar de não gostar, não significa que não o saiba fazer ou que não o faça em condições! E a prova é que tenho sido elogiada vezes sem conta em nem dois meses de trabalho!

 

Em desabafo, perguntei se devia contar ao patrão o que tinha visto e o meu pai sugeriu que não o fizesse. Aparentemente criaria atritos e a minha palavra não seria tida em conta. Ok, ótimo, eu fico calada. Mas caso mais alguma vez tenha que ir fazer o trabalho dos outros, seja por que motivo for, juro que não vou limpar melhor do que aquilo que eles fazem diariamente! Se limpam mal, problema deles. Eu assumo as culpas na minha escola, e nada mais!

 

19
Dez16

Pseudo-piadas

Conversa entre mim, o meu colega e um dos meus patrões, ontem, no restaurante:

 

Eu - Então, no próximo fim-de-semana, só trabalho na sexta, certo?

Patrão - Sim, sim, é isso.

Colega - Não, vens também no sábado, por mim.

Eu - Porquê? Pagas-me tu?

Colega - Oh, ofereço-te um chocolate.

Eu - Olha que voluntariado só faço para o Banco Alimentar!

 

E desataram os dois a rir. À gargalhada. Como se tivesse tido imensa piada.

Será que teve assim tanta, e eu própria não percebi?  

 

22
Nov16

Maternidade

Ainda não passei por ela, mas será que existe algo melhor?

 

Ontem tive a oportunidade de ver uma bebé lindíssima, nascida há pouco mais de dois dias, de uma das minhas ex-colegas mais queridas, com quem tive o prazer de privar na sapataria. A bebé é a coisa mais doce, mais perfeitinha que já vi. Tão frágil que até dá medo de pegar, e tão querida que derrete qualquer coração.

 

Desde bem cedo que penso que quero passar pela experiência. Talvez por ter cá em casa o melhor exemplo que podia ter. Talvez por ter tanto orgulho na minha mãe, que espero algum dia alguém se poder orgulhar assim de mim.

 

 

31
Out16

O fim de um ciclo

Num dia de Halloween como hoje, há um ano atrás, estava a ter o meu primeiro dia de trabalho na sapataria. Resultado de uma resposta repentina, uma entrevista sem esperança alguma, e o início de um novo ciclo da minha vida.

 

Durante todo este ano vivi, como em todo o lado, coisas boas e outras menos boas. Consegui, apesar de grandes dificuldades e algumas desilusões criar amizades. Consegui também afeiçoar-me, apesar de tudo, a alguns clientes frequentes nas diferentes lojas. E não esquecendo - encontrei alguém que tive relutância em aceitar, mas que ao longo do tempo, se revelou uma pessoa exactamente como eu esperava - e assim, faz já amanhã meio ano que estamos juntos e felizes.

 

Pois é, e posto isto, o que venho dizer-vos hoje é que esse ciclo acabou. Depois de uma situação menos boa, optei por entregar, há alguns dias, a minha carta de demissão. 

 

Assim, começo em breve um novo ciclo da minha vida (em breve, porque legalmente ainda me encontro a gozar o período de férias). Espero assim cumprir o dever que tenho para convosco e manter me mais assídua, actualizado-vos sobre qualquer novidade!