Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

Sweetener

Ser feliz com adoçante!

18
Ago17

Bom fim-de-semana!

Sei que ando muito desaparecida, sei que ando muito desligada de todos os que estão desse lado. Os meus dias têm sido um tanto ou quanto preenchidos e não tenho tido muita vontade de vir até cá nos meus tempos livres. Mas muito em breve isso mudará e poderei contar-vos o porquê.

 

Por isso, e sei que não tenho direito de pedir mas... Fiquem desse lado, só mais um bocadinho. Esta coisa da operação deu mais voltas na minha vida do que esperava e ainda estou a tentar gerir as coisas da melhor maneira. Em breve tudo voltará a ser o que era! Palavra de Sweetener!

 

Sabe a muito pouco, eu sei, mas passei cá só para vos desejar um excelente fim-de-semana! Espero que estejam todos da melhor maneira possível e se, infelizmente não for o caso, lembrem-se de ver sempre as coisas positivas. Podem ser poucas, mas existem sempre! Beijinhos 

 

09
Ago17

Vamos voltar?

Agora que já fez quase dois meses que fui operada, sinto que estou quase pronta para regressar ao mercado de trabalho. Aos poucos, tenho percebido que já consigo fazer a maioria das coisas que fazia antes, já posso baixar e levantar sem dificuldade, já pego em sacos, coisas que me têm deixado muito feliz. (Já consigo dormir de lado - a melhor notícia de todas!  )

 

Há coisa de duas semanas, o restaurante onde trabalhei, ligou-me para fazer o mês de Agosto. Meia apreensiva, expliquei-lhes o situação em que me encontrava e aceitei ficar. No entanto, pensei depois que, se estou bem para trabalhar lá, também estou bem para retomar o mercado de trabalho. E por isso, tenho me candidatado a imensas ofertas e ido a imensas entrevistas. Só esta semana já foram 5, todas elas para part-times. Bom, claro que preferir, eu preferia um full-time mas se não encontrar nada, farei o que puder para consiliar dois em regime de meio tempo.

 

Uma das entrevistas já teve resposta - negativa, infelizmente. E por azar dos azares, era aquela que eu achava ter corrido melhor e na qual depositei mais esperanças. No entanto, há mais e não vou parar por aqui, e agora que me sinto ativa novamente, será até encontrar algum!

 

Vou dando notícias e sobretudo tentar estar mais presente. Acreditam em mim se vos disser que tenho saudades vossas?! Vossas a não só, também (e principalmente) da paz de espírito que ganho quando aqui estou. Em breve tudo voltará ao normal, prometo! 

 

03
Ago17

O novo membro da família

Há uns meses pedi-vos opinião sobre a vontade que a minha mãe tinha em trazer um cão cá para casa. O principal problema era o já residente, machão Blacky, dono de si próprio, com a mania que manda em tudo quanto é da casa. E depois de muito tempo, a verdade é que ontem, chegou efeticamente um membro novo ao nosso lar, mas não foi um cão... Foi uma gata. 

 

Uma gatinha com pouco mais de dois meses, traçada de persa. Uma gata, que a minha mãe decidiu salvar de maus tratos de uma casa que ela costuma limpar. Atenção que, com maus tratos, não é necessariamente violência física. São para mim maus tratos, nomeadamente, deixar um animal fechado numa varanda, ao sol, sem água, comida ou uma caixa de areia limpa.

 

Depois da ameaça ter sido lançada semanas atrás, tornou-se finalmente real. Temos mais um membro nesta família de mulheres. Uma gata linda, infelizmente com muita falta de amor, carinho e bons tratos mas a partir de agora, tudo vai mudar. Apresento-vos a Mia! 

 

20590810_869312283231941_2037107806_o.jpg

 

O Blacky, tal como seria de esperar, não gostou da surpresa. Será um processo bem demorado e penoso. Esperem, acho que era perigoso que queria dizer. Ontem ao serão houve o primeiro confronto, e não correu nada bem. A determinada altura o residente virou-se à novata, que assustada não se mexeu. Logo em seguida, duas das donas intervieram, e o Sr. gato virou-se a elas. Felizmente não aconteceu nada de maior, mas ficámos verdadeiramente assustadas.

 

E pronto, a guerra está declarada. Só espero que ninguém saia magoado disto 

 

29
Jul17

Pós-operatório

Passou bem devagarinho, mas a verdade é que já fui operada faz hoje mês e meio. Tenho que admitir que me sinto muito bem. Tanto no tratamento hospitalar, como na recuperação, como no aparente resultado final como nas perspetivas do que está ainda para vir.

 

Esta operação era algo que eu já esperava há mais tempo do que me lembro alguma vez esperar por alguma coisa. Três anos... Foi mesmo muito tempo. E toda esta espera poderia ter sido evitada se o primeiro cirurgião que me teve nas mãos tivesse feito o trabalho em condições.

 

No entanto, sempre me disseram que toda a espera traz recompensa e parece mesmo que sim. Fui parar ao privado, tratada que nem princesa e muito bem acompanhada desde a alta hospitalar. Para quem já conhece, provavelmente não terá sido nada de mais mas para mim, virem com uma lista e perguntarem o que queria para as refeições, foi algo do outro mundo. Enfermeiras que pareciam amigas, tão atenciosas que até era de estranhar. O médico, oh, o médico... Cinco estrelas! Prático, sem papas na língua e bons resultados. Que mais pode um paciente querer?!

 

Um grande obrigada ao Dr. Cruz Ferreira, não podia ter pedido melhor! 

 

Depois há também a componente psicológica e é nessa, que noto mais diferenças. Sinto-me revigorada e feliz. Feliz, por conseguir finalmente olhar para o peito e não sentir desgosto. Tenho duas valentes cicatrizes, é verdade. mas tenho também uma alma e uma confiança novas. Claro que muita gente à minha volta sabe que fui submetida a tal, mas quem não, também não saberá porque felizmente qualquer bikini tapa a coisa. Sinto, e espero, que com o tempo, tenha mais vontade para cuidar de mim. Parece desculpa, eu sei, mas senti que até agora não tinha o incentivo certo para me preocupar em perder aqueles seis quilos que estão a mais. 

 

Se houve coisa que mudou radicalmente foi o meu poiso... Há todo esse tempo que durmo no sofá porque a cama, não é suficientemente boa para mim. O sofá tornou-se o meu melhor amigo porque nele, posso dormir ligeiramente de lado. Sempre foi um terror para mim dormir de papo para o ar e a cama... Não me dava alternativa. Claro que com o tempo, já tenho sentido aquelas dores próprias do sofá mas pode ser que em breve volte para onde é suposto.

 

A cicatriz está ainda muito vermelha mas pelo menos nota-se que já está fechadinha. As crostas foram saindo e agora é altura do creme hidratante fazer o seu trabalho. O pior mesmo é a comichão. Ai a comichão! É horrível e custa tanto não me poder coçar! Mas é bom sinal, significa que a pele nova se está a formar e que tudo está a correr bem.

 

Estou muito animada com os resultados e em breve, voltará tudo ao normal!